quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Giro na Notícia

* A comissão especial da Câmara aprovou a prisão em flagrante por porte ilegal de arma. De um total de 12 destaques apresentados para mudança no texto do projeto que revoga o Estatuto do Desarmamento, apenas esse foi aprovado. A matéria segue para o plenário da Câmara e, em seguida, para o Senado. Na semana passada, o colegiado reduziu de 25 para 21 anos a idade mínima para quem quiser comprar armas.

A Agência Nacional do Petróleo garantiu que a greve dos funcionários do setor não prejudica o abastecimento. Ao menos 13 estados são atingidos pela paralisação. Somente no Rio de Janeiro, são quarenta e duas plataformas. Vinte e cinco estão totalmente paradas. Segundo a Petrobras, a greve já afeta a produção de petróleo. Ontem, houve uma queda de 8,5% e, na segunda-feira, um recuo  de 13%. O percentual equivalente a 273 mil barris. 

A Receita Federal afirmou que não vai prorrogar o prazo de pagamento dos tributos dos empregados domésticos, que acaba na sexta-feira. Os empregadores encontraram ontem falhas no site pelo terceiro dia seguido e não conseguem emitir a guia de recolhimento de FGTS. Segundo o governo, mais de um milhão e cem mil pessoas já estão cadastradas no eSocial.

O Palácio do Planalto deve entregar hoje a defesa sobre as pedaladas fiscais em 2014 ao Senado. O Tribunal de Contas da União rejeitou a prestação de contas da presidente Dilma Rousseff. Após receber o parecer do TCU e a defesa do governo, a Comissão Mista de Orçamento vai ter um prazo de 40 dias para dar um parecer final que será analisado pelos parlamentares.

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou uma proposta para compensar as hidrelétricas que tiveram perdas de faturamento devido à seca. A medida deve elevar o lucro das empresas em até um bilhão e meio de reais em 2015. As companhias alegam que, com a queda na produção das hídricas, precisam comprar energia mais cara no mercado para cumprir os contratos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário