quarta-feira, 25 de novembro de 2015

“Homem da trombeta” chega a Borrazópolis anunciando a vinda de Jesus

Foto: Repórter do Vale
Quem passou nesta quarta-feira, (25) pelas ruas e avenidas de Borrazópolis provavelmente ouviu um som de uma trombeta, seguida de referências à palavra de Deus e o anúncio que Cristo está voltando. E quem tem feito esse trabalho é o evangelista Rogério Francisco de Jesus, 48 anos, que é nascido em Barra Mansa, no Rio de Janeiro.

Ele veio hoje para Borrazópolis e pretende percorrer o todo o Vale do Ivaí levando o instrumento e clamando às pessoas para a conversão e o arrependimento dos pecados.

Em entrevista concedida recentemente ao Jornal Paraná Centro de Ivaiporã (CLICA AQUI), Rogério Jesus disse que iniciou o trabalho como evangelista há cerca de 30 anos, numa época que era hippie e vagava pelo mundo fazendo pulseiras e tatuagens. “Depois de passar por algumas denominações, me aprofundei na Bíblia e Deus me deu uma visão, numa noite, que eu deveria sair evangelizando. Mas, infelizmente, os pastores não deram apoio e optei por trabalhar ou sair pregando a palavra de Deus. Fiz a opção de sair e levar a mensagem a todos os lugares”, afirmou Rogério Jesus.

Nesse trabalho de peregrinação, o evangelista esteve nas 27 capitais brasileiras e disse que, na maioria delas, sempre achou onde dormir e se alimentar. “Pela fé, o Salvador me levou para todas as capitais do Brasil, sem dinheiro e apoio de ninguém, acreditando que Deus me sustentaria e ele foi confirmando a obra. Às vezes de forma surpreendente, foi levantando pessoas que faziam ofertas nesse ministério”, disse.

Apesar da trombeta ser marca registrada, Rogério Jesus explicou que o instrumento é apenas para chamar a atenção das pessoas. “Pelo som estridente as pessoas se atentam a ouvir e, na sequência, prego mensagens”, comentou. Mas a ideia de usar a trombeta não começou desde o início do ministério. Ele se inspirou 10 anos depois de iniciar o ministério, quando viu um homem usando o instrumento.  

Veja um vídeo do nosso amigo Wellyngton Jhonis do Repórter do Vale.


Trabalho em praça pública
O trabalho de evangelização nas ruas e em praça pública é um dos mais difíceis de ser realizado. O evangelista contou que as pessoas não estão acostumadas a ver esse trabalho de pregação ao ar livre, mas que é necessário levar a palavra de Deus a vários lugares, seja nas praças públicas, ruas ou periferias das cidades. “O pregador precisa ir onde as pessoas estão e elas necessitam ouvir. Enquanto alguns me taxam de louco, outras pessoas se convertem, porque a verdade é que Cristo está voltando e as pessoas têm que fazer uma escolha de vida”, antecipou.

Com informações do Jornal Paraná Centro 

Nenhum comentário:

Postar um comentário