quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Dia do Padre – Parabéns aos Padres Paulo Cesar e Sebastião de Borrazópolis

Hoje dia 04/08/16, a igreja católica comemora o Dia do Padre e neste dia a Página B.N aproveita para desejar aos padres Paulo Cesar e Sebastião Dutra, que o Espírito Santo os ilumine na condução do povo católico e que Deus renove diariamente a belíssima vocação a que foram chamados e a qual disseram sim. Por isso que vocês são Filhos do Céu abençoados, consagrados e iluminados nessa desafiante missão de evangelizar!


Hoje é um dia muito especial! Dia de rezarmos especialmente por alguém que se faz presente, ajudando a transformar corações e restaurar vidas, que sempre tem uma palavra amiga, uma mensagem de encorajamento, um abraço afetivo, olhar afetuoso e mãos estendidas para nos oferecer. Um amigo singular, designado por Deus para nos conduzir pelo caminho mais correto e mais seguro. Um médico de almas que está sempre pronto a ajudar a curar nossas feridas e aliviar nossas dores.

Parabéns aos Padres Paulo Cesar e Sebastião Dutra.


Abaixo, como parte do nosso trabalho de sempre procurar passar pra vocês internautas ao longo desses quatro anos matérias consistentes, um breve histórico esclarecendo o porquê dessa data escolhida pelo papa Pio XI em 1929.

“O Dia do Padre é celebrado oficialmente em 4 de agosto, data da Festa de São João Maria Vianney, desde 1929, quando o papa Pio XI o proclamou “homem extraordinário e todo apostólico, padroeiro celeste de todos os párocos de Roma e do mundo católico”. Padroeiro é o representante de uma categoria de pessoas, cuja vida e santidade comprovadas estimulam a uma vida de fé em comunhão com a vontade de Deus.

João Maria Vianney nasceu na França, em 1786. Depois de passar por muitas dificuldades por causa de suas poucas habilidades, foi ordenado sacerdote. O bispo que o ordenou acreditou que o seu ministério não seria o do confessionário, pois achava que sua capacidade intelectual era muito limitada para dar conselhos.

Ele foi enviado para a pequenina Ars, no interior da França, como auxiliar do padre Balley, o mesmo que vislumbrou, por santa inspiração, seu dom e, confiando nele, o preparou para o sacerdócio. Padre Balley, outra vez inspirado, acreditou que o dom de seu auxiliar era justamente o do conselho e o colocou a serviço do confessionário. Assim, padre João Maria Vianney, homem justo, bom, extremado penitente e caridoso, converteu e uniu toda Ars. Amado e respeitado por todos os fiéis e pelo clero, sua fama de conselheiro correu por todo o mundo cristão. Assim, ele se tornou um dos mais famosos confessores da história da Igreja. Conhecido também como o Cura d’Ars, mais tarde, foi o pároco da cidade onde morreu, em 1859.

São João Maria Vianney, canonizado por Pio XI em 1925, é o melhor exemplo das palavras profetizadas pelo apóstolo Paulo: “Deus escolheu o que no mundo não tem nome nem prestígio, aquilo que é nada, para assim mostrar a nulidade dos que são alguma coisa” (1Cor 1,28) .”

Nenhum comentário:

Postar um comentário