terça-feira, 27 de setembro de 2016

Bispo Diocesano Dom Celso Antônio Marchiori apresenta carta de orientação para as eleições 2016

Foi publicada no site D.A (Diocese de Apucarana) por Dom Celso Antônio Marchiori, bispo diocesano de Apucarana, uma carta de orientação para todo povo de Deus, pastores e fiéis, sobre o pleito deste ano. Confira:

Resultado de imagem para bispo dom celso apucaranaDiante das eleições que se aproximam, apresento-lhes alguns pontos importantes para votarmos bem e corretamente.

1. A Igreja não tem partidos nem candidatos. Não impõe nomes ou partidos a serem apoiados nem obriga a votar em determinados candidatos.

2. Procure conhecer os candidatos: conduta, ideias e partidos. Observe se seus candidatos estão comprometidos com a justiça, segurança, combate à violência, dignidade da pessoa, respeito pela vida humana desde a concepção até a morte natural. Que sejam contra o aborto e a eutanásia.

3. Vote apenas em candidatos com “ficha limpa”, que promovam e defendam a família segundo sua identidade natural e que sejam firmemente contra o aborto.

4. Observe se o candidato trabalha para o bem comum ou para o seu próprio interesse. Veja se ele representa apenas o seu grupo ou partido ou se pretende promover políticas que beneficiam a todos: o bom governante trabalha para todos e o legislador faz leis para todos. 

5. Vote em candidatos comprometidos seriamente com a superação da pobreza, com a educação, saúde, moradia, saneamento básico, respeito à vida e ao meio ambiente. 

6. Vote em candidatos que respeitem a liberdade religiosa e de consciência, que não sejam fanáticos nem fundamentalistas religiosos, e que garantam o ensino religioso plural nas escolas públicas. 

7. Lembre-se de que voto não tem preço, não se compra nem se vende. E tem várias e sérias consequências. Veja se seu candidato já tem mandato eletivo ou se já teve e o que ele fez em benefício do bem comum.

8. Acompanhe os políticos depois das eleições para cobrar deles o cumprimento das promessas de campanha e apoiar suas ações políticas e administrativas.

9. Os templos e lugares de culto, bem como os eventos religiosos, não devem ser usados para a propaganda eleitoral partidária (cf Lei 9504, art. 37 §4º). Como Igreja Católica Apostólica Romana, valorizamos a liberdade de consciência e as escolhas autônomas dos cidadãos. Mas não usemos da religião para propaganda política e nem transformemos nossas comunidades eclesiais em palcos para comícios eleitorais.

10. Diga não à corrupção. Não venda seu voto.

Dom Celso Antônio Marchiori
Bispo Diocesano de Apucarana

Nenhum comentário:

Postar um comentário