quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Morre o pioneiro Joaquim Vieira Pinheiro em Borrazópolis

Borrazópolis enlutada com morte de Joaquim Vieira Pinheiro. O homem que ajudou a desbravar o município. 
Construção do primeiro imóvel em 1948. Escritório da colonizadora Rio Bom.

Faleceu na manhã desta quinta-feira (01/09/16), na cidade de Londrina, o “pioneiro” Senhor Joaquim Vieira Pinheiro, aos 91 anos. (Entrou em óbito após um quadro de pneumonia que evoluiu para uma parada cardiorrespiratória).

Seu Joaquim era casado com Odete Pinheiro e pai de: Edna, Simone, Marisa, Joaquim Filho e Liliana, e morou por muitos anos em uma Fazenda localizada no Bairro Fogueira. 

Velório e Sepultamento
A Família decidiu pelo velório no Cemitério Parque das Oliveiras em Londrina, e sepultamento às 10:30 hs, do dia 02 de Setembro, também em Londrina. 

Veja abaixo a trajetória pioneira de Joaquim Vieira Pinheiro
Consta nos registros históricos, que Borrazópolis pertencia a Rio Bom, sendo em maio de 1947, o topógrafo Joaquim Vieira Pinheiro, natural de Minas Gerais, chefiando um grupo de medição chegou ao local onde seria o futuro Patrimônio Borrazópolis. Como não havia estradas, o material necessário foi conduzido por tropa de animais em acesso por picadas. O trabalho de topografia levou seis meses com levantamento do patrimônio e chácaras. No inicio, o acampamento era com barracas de lona, instalado na cabeceira do córrego Maringá. Concluído os trabalhos topográficos de campo, as cadernetas foram remetidas para o escritório técnico do Dr. Othon Mader, engenheiro urbanista responsável pelos projetos e plantas, desenhos e cálculos. A Colonização de posse de todo esse material foi à Prefeitura de Apucarana (sede da Comarca), registrar o futuro Patrimônio. Cumprindo todas as exigências da época foi definitivamente aprovado e confirmado o nome de Borrazópolis. Criado através da Lei Estadual nº790 de 14 de novembro de 1951, e instalado em 14 de dezembro de 1952. 

Até foi matéria veiculada no Jornal de Londrina, na data de 19/07/1983, falando que Joaquim chegou para demarcar a cidade e logo depois virou cafeicultor, "Um negócio de 117 mil réis deu origem a Borrazópolis"








Nenhum comentário:

Postar um comentário