quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Professores da rede estadual entram em greve


Cerca de cem mil professores da rede estadual de ensino que participaram da assembleia realizada pela App-Sindicato, na manhã desta quarta-feira (12), na sede do Paraná Clube, decidiram pela greve da categoria a partir da próxima segunda-feira (17).
A categoria protesta contra a emenda da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO),encaminhada pelo governador Beto Richa (PSDB) para a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) que retira o reajuste da categoria previsto para janeiro de 2017.
A promessa de reajuste foi feita para acabar com a greve dos servidores, que aconteceu no ano passado, durou 44 dias e ficou marcada pela violência do dia 29 de abril.
Uma manifestação que deve reunir servidores de todas as categorias está marcada para acontecer em Curitiba, no próximo dia 25.
Segundo informações no site da APP Sindicato, o Governo voltou atrás e compromete pagamento das promoções, progressões e data-base. Situação nas escolas beira o caos e paralisação começa segunda (17). Clica aqui e leia a matéria completa. 


Secretaria da Educação emite nota sobre decisão dos professores


A Secretaria de Estado da Educação (SEED) lamenta a decisão do sindicato dos professores, de paralisar as atividades, que mais uma vez, a posição prejudica os mais de um milhão de estudantes da rede estadual do Paraná. Em nota emitida nesta quarta-feira (12), a Secretaria reitera que tem mantido o diálogo aberto, com a realização de reuniões periódicas na própria SEED e na Casa Civil. 

Um novo encontro com os representantes dos sindicatos de servidores será realizado no próximo dia 19, dando sequência às negociações. 

"Todas as demandas dos professores e funcionários da educação estão sendo analisadas", ressalta a nota. Em relação à principal reivindicação, do pagamento das promoções e progressões, o Estado pretende implantar esses pagamentos a partir de janeiro de 2017. 

A secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, destaca que o Governo do Estado tem feito todos os esforços para efetuar os pagamentos o mais breve possível, mas isso depende da evolução do orçamento.

Em relação ao calendário escolar, as reposições terão que avançar até 2017, pois as aulas deste ano terminam em 21 de dezembro, devido às duas paralisações de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário