quarta-feira, 26 de outubro de 2016

VALE DO IVAÍ - Emater aposta na fruticultura e turismo para desenvolver

Resultado de imagem para fruticultura e turismo
Imagem Ilustrativa

A Emater vai promover nesta quinta e sexta-feira (27 e 28) uma excursão técnica com 80 agricultores das regiões de Apucarana e Ivaiporã para conhecer a experiência de produtores de São Paulo que produzem frutas e utilizam as suas propriedades para prestar serviços de turismo rural. 

Serão visitados os municípios de Valinhos, Jundiaí, Vinhedo e Louveira, que integram o Circuito das Frutas. A visita tem o apoio do programa Pró Rural e do Território Vale do Ivaí.

Em São Paulo, produtores e técnicos paranaense serão recebidos por extensionistas da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), órgão oficial de assistência técnica e extensão rural paulista.

O gerente regional de Apucarana, Cristovon Videira Ripol, explica que a fruticultura é um dos projetos estratégicos do Governo do Paraná e também um projeto prioritário da Emater para o norte-paranaense. "Esta atividade, juntamente com a olericultura e o turismo rural, está em franco crescimento na região e é uma importante alternativa de renda e trabalho para os pequenos produtores e para o desenvolvimento econômico regional. Queremos ver no Circuito das Frutas, em São Paulo, iniciativas bem sucedidas que podem ser copiadas com sucesso aqui pelo nossos agricultores".


Para o extensionista da Emater, os 13 municípios da Região onde trabalha estão estrategicamente localizados, o que pode contribuir para o desenvolvimento de um projeto que combine a produção de frutas e a oferta de serviços de turismo rural. "Estamos no eixo que liga Londrina a Maringá e o Norte do Estado com Curitiba. A existência de belas paisagens é outro fator capaz de contribuir com o desenvolvimento dessa ideia", explica Ripol.

Lucia Helena Socoloski, da Emater de Ivaiporã, diz que dos 40 agricultores que a região de Ivaiporã vai levar para São Paulo muitos já estão trabalhando com a fruticultura. Eles cultivam, principalmente, goiaba, maracujá, abacaxi e abacate. 

"A intenção é mostrar para aqueles que ainda não apostaram nesta atividade que a fruticultura pode ser uma ótima alternativa de geração de renda para a pequena propriedade rural”, afirmou.

Segundo ela, para aqueles que já desenvolvem esta cultura, a Emater quer despertar o interesse pelo turismo rural, que é um negócio não agrícola com grande potencial de crescimento na região. “Crescimento que pode ser apoiado, ainda, pelos diversos atrativos naturais e pela cultura gastronômica das diversas etnias".

Nenhum comentário:

Postar um comentário