domingo, 27 de novembro de 2016

Torcedores comemoram título do Palmeiras em Borrazópolis

“Sabe sempre levar de vencida, E mostrar que, de fato, é campeão!”, diz o mais conhecido hino da torcida palmeirense.


E em Borrazópolis, centenas de torcedores do Palmeiras comemoraram na Praça da República o título de campeão brasileiro de 2016, conquistado neste domingo (27), em cima do Chapecoense em sua casa por 1 a 0, com gol de Fabiano ainda no primeiro tempo.

Os carros fecharam a avenida e os mais desavisados ficaram algum tempo presos no congestionamento. A Polícia Militar (PM) informou que fez alguns patrulhamentos na área, mas não houve nenhum tumulto. A PM, inclusive, não recebeu nenhuma ligação até as 21 horas de moradores incomodados com a comemoração, o prefeito Didi já alguns dias não tirava a camisa do Palmeiras do corpo, e ficou feliz de seu time alcançar a glória na competição mais importante do futebol nacional.

O nosso amigo Mário Sakamoto tirou de seu carro uma bateria de fogos e comemorou com a família e amigos a grande vitória. Já o conhecido Galvão desfilou com o seu animal de estimação, um porquinho vestido com a camisa do Palmeiras, o nosso amigo Vilmar Sapatieri apesar de ser corinthiano, estava comemorando junto com os palmeirenses, e “ele” disse que não importa o que digam, o Palmeiras é o campeão brasileiro de 2016.


O Verdão chegou ao nono título brasileiro. Ultrapassou o Santos e se tornou o time que mais vezes conquistou o Campeonato Brasileiro. Não perca a conta. O Palmeiras foi campeão em 1960, 1967 (Taça Brasil), 1967 (Torneio Roberto Gomes Pedrosa), 1969, 1972, 1973, 1993, 1994 e, agora, 2016.
O título deste ano, o primeiro do Verdão nos pontos corridos, vem de forma incontestável. Em 37 partidas (ainda há uma rodada a ser disputada), a equipe do técnico Cuca, que previu o título, somou 77 pontos: 23 vitórias, oito empates e seis derrotas. É o time que mais venceu, menos perdeu, mais marcou gols (60) e menos sofreu (31).

O Palmeiras nem precisou marcar para que a torcida começasse a fazer a festa na arena. Logo aos 2 minutos, o estádio explodiu com a informação de que o Flamengo havia aberto o placar contra o Santos, no Maracanã. Resultado que seria suficiente para o Verdão. Tranquilo em campo, controlando o jogo com passes precisos e marcação firme, a equipe da casa foi à rede aos 25, com Fabiano batendo por cobertura após jogada ensaiada de falta. 

A Chapecoense, que tentava se aproximar do gol de Jailson na base do toque rápido (chegou a levar perigo em cabeçada de Sérgio Manoel), sentiu o gol e deu campo para o Palmeiras jogar. O time de Cuca, então, tomou conta de vez da partida e criou chance para mais gols. Aos 43, Gabriel recebeu lindo passe de Moisés e só não marcou porque Danilo fez grande defesa. 

A vantagem adquirida no primeiro tempo deu muita tranquilidade ao Verdão, que começou o segundo tempo comandando todas as ações em campo. Trocou passes com correção e envolveu a Chapecoense, que só conseguiu passar a linha de meio-campo aos 25 minutos. 

À medida que o tempo ia passando e o título se aproximava, a torcida ia trocando a apreensão pela festa. O segundo gol do Flamengo só confirmou. Abraços, sorrisos e algumas lágrimas para festejar o novo título nacional do Verdão. Ao final do jogo, prêmio para um ídolo. Fernando Prass, que estava parado desde agosto, por lesão, entrou aos 45 para ser festejado pela torcida. Apito final, explosão do estádio e a alma lavada.




Nenhum comentário:

Postar um comentário