quarta-feira, 29 de março de 2017

Homem que participou do maior assalto a banco da história do Brasil é preso em Borrazópolis

Foto: Ivan Maldonado


Foto: Berimbau



Pelo bom trabalho do Décimo Batalhão de Apucarana, 6ª Companhia Independente de Ivaiporã, e equipe Policial de Borrazópolis, através do Sargento Gilmar, conseguiram prender na manhã desta quarta-feira, 29/03/17, um homem identificado como Jean Ricardo Galean de 39 anos, conhecido como Gorgo, que é um dos bandidos que participou do maior furto da história a Banco no Brasil, realizado contra o Banco Central em Fortaleza, no Ceará, em 2005. O crime ocorreu há quase 12 anos e foram levados quase R$ 164 milhões de reais.

Segundo informações Jean estava na casa de Valdomiro Stapait e sua esposa Fátima, do qual é sobrinho. É importante ressaltar que os agricultores de Borrazópolis que residem no Sítio Floresta no Bairro Santa Terezinha, são pessoas idôneas, que apenas receberam a visita do sobrinho. Jean possui cinco mandados de prisão por assalto e porte ilegal de arma de fogo.

Prisão
A investigação começou quando a Polícia Militar abordou na data de ontem (28/03) em Mauá da Serra, um veículo importado e blindado em que seguiam três pessoas, sendo uma mulher e dois homens. A abordagem aconteceu após os policiais verificarem que haviam cortes nas portas do veículo, indicado que poderia ser usado para algo ilícito.
Durante a abordagem a polícia constatou que um dos homens tinham um mandado de prisão em aberto e acabou preso. Os demais passageiros apresentaram os documentos, e a polícia fez uma vistoria minuciosa no carro. O veículo foi apreendido e o casal liberado, já que não havia até então nada contra eles.
Mas, a polícia continuou com as investigações, pois acreditava que havia algo de errado na história. O Serviço Reservado iniciou uma investigação e constatou que o Jeam que foi abordado e liberado tinha apresentado documentos falsos. Ele entregou os documentos de um irmão. Com a identificação correta de Jean, a policia constatou que ele tinha cinco mandados de prisão e que teve participação ativa no roubo que ficou conhecido como ‘assalto ao Banco Central em Fortaleza’, tendo inclusive sido condenado pelo crime.

Antecedentes
Galian possui diversas passagens pelo sistema prisional brasileiro, principalmente pelos crimes de roubo e porte ilegal de arma de fogo. De acordo com informações veiculadas pela imprensa no ano de 2006, Galian confirmou ter pagado mais de R$ 2,4 milhões para não ser preso pelo crime no Banco Central de Fortaleza, em depoimento prestado à Justiça Federal. Foi o maior assalto a banco da história do Brasil e considerado um dos maiores crimes do gênero em todo o mundo. 

Na época, Galian confessou ter sido um dos escavadores do túnel que deu acesso ao cofre do banco. Advogados dos réus disseram que muitos dos integrantes chegaram a ser presos e liberados, após pagamento de propina a policiais de São Paulo e do Ceará. Ainda na década de 2000, Galian foi preso outra vez, por escavar um novo túnel, com a intenção de chegar aos cofres de um banco no Rio Grande do Sul.

No Paraná, Galian já havia cumprido pena na Colônia Penal Agroindustrial, no Complexo Penitenciário de Piraquara, de onde fugiu em 1999. Em 2008, ele teve uma nova passagem pelo sistema prisional do Estado, antes de ser transferido para uma unidade penal em Guarulhos (SP).

Na última semana, Galian foi denunciado como autor de violência doméstica contra uma companheira no bairro Água Verde, em Curitiba. Na ocasião, ele também esfaqueou o porteiro do prédio. Desde então, ele havia fugido.

O crime
O maior roubo do Brasil ocorreu entre os dias 6 e 7 de agosto de 2005, na sede do Banco Central, no Centro de Fortaleza. Os ladrões alugaram uma casa a 78 metros do banco e chegaram ao cofre por meio de um túnel com cerca de 4 metros.
Segundo estimativa da Polícia Federal, R$ 164 milhões foram roubados. Até hoje, foram recuperados cerca de R$ 50 milhões, sendo R$ 30 milhões em bens. A primeira parte do montante foi recuperada 50 dias após o furto, na casa onde morava um dos suspeitos. Ainda em 2005, R$ 418 mil foram encontrados em uma casa em Natal.
A investigação culminou na prisão de mais de 120 pessoas, das quais 37 tiveram envolvimento direto com o crime. Foi preso também o ex-prefeito de Boa Viagem Antonio Argeu, acusado de financiar R$ 100 mil para a execução do roubo.


Foto: Berimbau


Nenhum comentário:

Postar um comentário