segunda-feira, 22 de maio de 2017

JBS - Delator diz ter pago R$ 30 milhões em propina a ex-governador Silval Barbosa de MT

Silval Barbosa nasceu em Borrazópolis no ano de 1961, ele teria recebido R$ 30 milhões da JBS S/A em troca de incentivos fiscais

Segundo informações do G1 de Mato Grosso, o ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa PMDB, (que é nascido em Borrazópolis no ano de 1961), teria recebido ilegalmente R$ 30 milhões em troca de incentivos fiscais concedidos ilegalmente para a JBS S/A, o pagamento teria ocorrido entre os anos de 2011 e 2013, de acordo com um dos donos da JBS, Wesley Batista, que firmou acordo de delação premiada junto com o irmão dele, Joesley Batista.

Segundo o G1, as negociações começaram durante a campanha de Silval ao governo, em 2010, e nos três anos seguintes teriam sido pagos R$ 10 milhões por ano de propina. O ex-governador está preso desde 2015, também sob acusação de liderar um esquema de propina em troca de benefícios fiscais.

Wesley Batista disse que ele e o irmão foram procurados por Silval, à época vice-governador do estado, que solicitou a eles doação de campanha em troca de incentivos fiscais do governo.
"Em meados de 2010, o governador Silval Barbosa, que tinha assumido o governo já no final quando Blairo saiu para ser candidato [ao Senado], assumiu, se lançando candidato. O então governador procurou Joesley, meu irmão, para discutir a contribuição de campanha e ofereceu ao Joesley vantagens indevidas para compensar a doação", declarou Wesley Batista, em depoimento à Procuradoria Geral da República (PGR).

Depois que Silval foi eleito, o empresário contou ter ido ao gabinete dele em busca de reduzir o ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) pago pela JBS e acertou o pagamento de propina.

Os pagamentos ao então governador teriam sido feitos em dinheiro através de um doleiro e com notas frias emitidas por várias empresas. Um delas seria de propriedade do então secretário de estado, Pedro Nadaf, que também foi preso em 2015 e solto no ano passado, com o uso de tornozeleira eletrônica.

Silval Barbosa (PMDB) se negou a responder pergunta na CPI, mas se disse 'angustiado'. (Foto: Renê Dióz / G1)Indevidamente, a JBS começou a pagar o ICMS como se fizesse parte do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic), apesar de não se encaixar nos critérios do programa, que é vinculado à Secretaria Estadual de Comércio, Minas e Energia (Sicme), a qual Nadaf comandou. Só tem direito ao Prodeic as empresas que se dedicam à atividade produtiva dos setores industrial, agroindustrial e mineral e apenas uma das plantas frigoríficas da JBS se encaixavam no programa.


SILVAL BARBOSA
O governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, nasceu no dia 26 de abril de 1961, em Borrazópolis, no Estado do Paraná. Filho de Antônio da Cunha Barbosa e Joana da Cunha Barbosa, é casado com Roseli Barbosa, com quem tem três filhos: Rodrigo, Carla e Ricardo.
Ele veio para o Estado em 1977 e se instalou na região norte de Mato Grosso onde participou do processo de colonização de cidades como Matupá, Guarantã do Norte, Itaúba, Marcelândia e Novo Mundo.

Silval é bacharel em Direito e empresário. Seu primeiro cargo público foi como prefeito de Matupá (695 km ao norte de Cuiabá) de 1993 a 1996. Em 1998, se elegeu deputado estadual e em 2002 foi reeleito.
No ano seguinte, ele tornou-se primeiro-secretário do Legislativo de Mato Grosso (2003- 2004). Em 2004, foi nomeado presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa e permaneceu no cargo de 2005 a 2006.

Em 2006, Silval Barbosa foi eleito vice-governador do Estado. Em 31 de março de 2010 tomou posse como governador de Mato Grosso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário