quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Carteira de habilitação eletrônica já pode ser testada por motoristas

Uma versão de teste da Carteira Nacional de Habilitação eletrônica já está disponível para ser baixada pelos motoristas. O documento digital será usado a partir de fevereiro de 2018 e terá o mesmo valor jurídico do impresso. A versão de demonstração do aplicativo CNH-e está disponível apenas para aparelhos com sistema operacional Android e pode ser encontrado na internet. 

O aplicativo, desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), permitirá aos motoristas terem acesso ao arquivo digital da CNH por meio do telefone celular. O aplicativo deverá estar disponível para download nas lojas virtuais Apple Store e Google Play até fevereiro do próximo ano.

Como vai funcionar - Com a CNH eletrônica, os agentes de trânsito poderão checar os dados dos documentos por meio do mesmo aplicativo, que fará a leitura do QRCode. Assim, o motorista poderá apresentar o documento digital a qualquer autoridade de trânsito, evitando multas caso tenha esquecido ou perdido o documento impresso. A habilitação física continuará sendo emitida aos condutores que a solicitarem aos departamentos de trânsito estaduais.

Futuramente, o motorista também poderá conferir, pelo aplicativo, a pontuação de infrações cometidas, ser avisado quando a CNH estiver perto de vencer e saber sobre campanhas de trânsito. A Petrobras vai reduzir, nas refinarias, o preço da gasolina em 1,1% e aumentar em 0,5% o valor do diesel  a partir de amanhã. A nova política da estatal vigora desde o fim de junho. O objetivo é acompanhar as condições do mercado para enfrentar a concorrência de importadores.

O projeto de lei que aumenta a previsão de rombo nas contas públicas em 2017 e 2018 deve ser votado pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso na tarde de hoje. Depois de apreciada, a proposta poderá ser levada à sessão na Casa destinada a avaliar vetos presidenciais. No texto, o governo propõe elevar o déficit primário para 159 bilhões de reais nos dois anos.

O faturamento das distribuidoras de medicamentos subiu 10,2% entre janeiro e junho em relação ao primeiro semestre de 2016. No período, as vendas totalizaram sete bilhões de reais. A associação do setor informou que o agravamento da crise econômica ajudou as distribuidoras, já que houve uma elevação do consumo de genéricos,  uma das categorias em que as empresas do segmento mais atuam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário