terça-feira, 5 de setembro de 2017

Polícia Federal encontra grande quantia de dinheiro em imóvel que seria usado por Geddel

A Polícia Federal deflagrou a Operação Tesouro Perdido, terceira fase da Operação Cui Bono, que investiga esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa  Econômica Federal no período entre 2011 e 2013.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão emitidos pela 10ª Vara Federal de Brasília. As investigações levaram os policiais a um endereço em Salvador que, supostamente, seria usado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima, como um "bunker" para armazenagem de dinheiro em espécie.

Foram encontrados nesse apartamento mais de dez volumes, entre caixas e malas, cheias de dinheiro, que foi levado para um banco para ser contabilizado e depositado em conta judicial. Na decisão, o juiz Vallisney de Souza Oliveira argumenta que Geddel, na época em que era vice -presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal teria recebido cerca de R$ 20 milhões  a título de propina em troca de aprovação de recursos da Caixa ou de liberação de crédito FI-FGTS para beneficiar determinadas empresas.

Ainda segundo a decisão, relatos policiais dão conta de que havia a suspeita de que o ex-ministro estaria escondendo provas no apartamento alvo da busca desta terça-feira (5). O apartamento é de Sílvio Silveira, que teria cedido o imóvel para que Geddel guardasse os pertences do falecido pai. Atualmente, Geddel está em prisão domiciliar em Salvador. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário