sábado, 6 de outubro de 2018

Homem conhecido pela comunidade volta a ser detido por estupro de vulnerável

Um homem identificado como sendo Valdineus Timótio, o conhecido "Barba", de 48 anos, foi detido novamente no centro de Borrazópolis, na tarde desta quinta-feira, 04, acusado de Estupro de vulnerável. Alguns moradores afirmaram  que "Barba", não se trata de um estuprador, mas apenas de um alcoólatra que precisa de tratamento, pois ao ingerir bebida alcoólica, fica fora de si e pratica gestos obscenos e outra atitudes similares que já resultaram em prisões. 

Segundo o registro de ocorrências, o solicitante relatou que estava almoçando em sua residência, quando sua filha, lhe informou que estava brincando no quintal, quando um individuo cabeludo, barbudo, com camisa laranjada e calça suja, parou em frente a residência e este homem olhava para os lados para verificar se alguém estava por perto, chamava a criança para sair para fora através de gestos e mostrava seu órgão genital. Que após repetir algumas vezes esta atitude, a criança assustada, adentrou a residência para relatar o fato a seu pai. Que ao sair para procurar, este já teria se evadido. 

Que após levar sua filha para a escola, o solicitante se deparou com o individuo, quando parou para conversar com o mesmo, recebeu informações de populares que estavam próximos, de que o homem, identificado, já repetiu tais atos anteriormente e já teria sido preso por estes fatos. Que ao saber do ocorrido, populares se revoltaram e tentaram agredi-lo, onde o mesmo recebeu um golpe que levou seu nariz a sangrar, porém foram contidos pelo solicitante, que o protegeu até a chegada da equipe.

Posto isto, recebeu voz de prisão e foi encaminhado até o hospital municipal, onde recebeu atendimento médico. Posteriormente foi encaminhado até a 53ª DRP de Faxinal, para as providências cabíveis aos fatos.

LEI - Com a mudança da lei, não é mais necessário o ato sexual para configurar estupro, basta apenas tentar agarrar, beijar, constranger, ou algo parecido que seja reclamado pela vítima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário