quarta-feira, 27 de março de 2019

Remada Ambiental do Rio Tibagi coleta 240 quilos de resíduos em Telêmaco Borba


Mais de 240 quilos de resíduos sólidos foram coletados durante a Remada Ambiental Rio Tibagi, realizada na última quarta-feira (20) pela Klabin, com o apoio da Sanepar e Copel. Cerca de 150 voluntários participaram da remada que percorreu 4 quilômetros do trecho urbano do rio, em Telêmaco Borba. Todo o material coletado foi destinado à Cooperativa Ambiental da cidade e à Central de Resíduos da Klabin.

O evento comemorou o Dia Mundial da Água (22/03) e trabalhou temas como poluição de rios e mares e a educação ambiental para a destinação correta de resíduos sólidos. Além da ação de limpeza do rio, uma tenda foi montada para a educação ambiental, promovida pela da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e levou informação sobre as matas e animais silvestres encontrados no Paraná e, com jogos lúdicos, conscientizou crianças e adolescentes sobre a conservação da biodiversidade.

A remada foi dividida em dois percursos diferentes: no maior, de 4 km, sete botes saíram do ponto de captação de água da Sanepar, em Telêmaco Borba, e a chegada foi no Parque do Rio Tibagi. No trajeto menor, os participantes remaram coletando resíduos próximos ao parque. Entre os voluntários estavam colaboradores da Klabin, Copel, Sanepar, Escoteiros, Faculdade de Telêmaco Borba, Faculdade Anhanguera e Instituto Federal do Paraná.


Para a engenheira química, Glauci Lima dos Santos, que participou com filho Vinícius, chamou a atenção os tipos de resíduos encontrados. Eram roupas, calçados, garrafas PET e latas de bebidas, mas tinham também resíduos curiosos como estrado de cama, assento sanitário, tapetes, grelha para churrasco, encanamento, pneu, isopor, brinquedos infantis, fogão, entre outros.

“Vimos muitos materiais que poderiam ser reutilizados. Acredito que se formos limpar todo dia, ainda assim haverá muito resíduo para coletar, se a população não se conscientizar em dar a destinação correta a aquilo que não serve mais”, disse Glauci.

“Notamos que os resíduos que retiramos do rio são, em sua maioria, de uso doméstico, além de materiais que a comunidade acaba deixando nas margens após um momento de lazer. Nosso objetivo é conscientizar a população sobre esse problema ambiental. Quando um material é descartado de forma errada, ou apenas jogado na rua, quando vier a chuva, esse lixo vai ser carregado para o rio e de lá para os oceanos”, explicou o Gerente de Sustentabilidade e Meio Ambiente da Klabin, Júlio César Batista Nogueira.

Conduzidos pela Capitã Coleta e os Amigos da Klabin – personagens do Projeto de Resíduos Sólidos que a empresa desenvolve na região –, alunos do Colégio Estadual Bela Vista, Colégio Dom Bosco, Colégio Ideal, Colégio Positivo e Associação Educacional Fanuel - Guarda Mirim também participaram da Remada, auxiliando na separação de resíduos e participando da tenda de educação ambiental.

Segundo Júlio, serão plantadas 24 árvores nativas no bosque do Parque da Cidade, em Telêmaco Borba, com a finalidade de neutralizar as emissões de carbono do evento. Outras ações como essa já foram realizadas pela companhia. Em agosto do ano passado a Klabin promoveu a Remada Ambiental Rio Itiberê, em Paranaguá e estuda a ampliação para outras cidades.

Sobre a Klabin
A Klabin é a maior produtora e exportadora de papéis para embalagens do Brasil, líder nos mercados de embalagens de papelão ondulado e sacos industriais e única companhia do país a oferecer ao mercado uma solução em celuloses de fibra curta, fibra longa e fluff. Fundada em 1899, possui 17 unidades industriais no Brasil e uma na Argentina. Somente no Paraná, gera mais de 10 mil empregos (diretos e indiretos), em mais de 25 municípios próximos das operações da companhia, principalmente, na região dos Campos Gerais.

A empresa é pioneira na adoção do manejo florestal em forma de mosaico, que consiste na formação de florestas plantadas entremeadas a matas nativas preservadas, formando corredores ecológicos que auxiliam na manutenção da biodiversidade. A área florestal da companhia no Paraná compreende o total de 342 mil hectares, sendo 142 mil de mata nativa. A Klabin também mantém um Parque Ecológico, na Fazenda Monte Alegre, em Telêmaco Borba, para fins de pesquisa e conservação, atuando no acolhimento e reabilitação de animais silvestres vítimas de acidentes ou maus-tratos, auxiliando o trabalho de órgãos ambientais. Além de contribuir para a preservação da flora e fauna da região, inclusive de espécies ameaçadas de extinção.

Toda a gestão da empresa está orientada para o Desenvolvimento Sustentável. Na região dos Campos Gerais a Klabin desenvolve boa parte dos seus programas socioambientais, com destaque para “Matas Sociais - Planejando Propriedades Sustentáveis”, Matas Legais, Projeto de Resíduos Sólidos, Crescer Lendo, Programa Caiubi, Força Verde Mirim e Protetores Ambientais.

A companhia também aderiu aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, é signatária do Pacto Global e do Pacto Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo, e busca fornecedores e parceiros que sigam os mesmos valores de ética, transparência e respeito aos princípios de sustentabilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário