quarta-feira, 6 de março de 2019

Saúde pleiteia aumento das doses de vacina contra meningite


A Secretaria de Estado da Saúde está solicitando ao Ministério da Saúde o aumento no número de doses da vacina contra a meningite, que está em falta em alguns municípios do Paraná. Emergencialmente, a secretaria fez o remanejamento dos estoques para evitar o desabastecimento, na medida do possível. A região de Francisco Beltrão, um dos locais onde falta a vacina, registrou a morte de um adolescente de Pérola do Oeste que estudava em Capanema. O rapaz, de 16 anos, estava desde 1º de março e morreu nesta terça-feira. Ainda não é possível saber o tipo de meningite, que está em análise no Lacen, Laboratório Central do Estado. De acordo com a secretaria, o Paraná, assim como outros estados, está recebendo doses em quantidades insuficientes há mais de um ano. A demanda de meningogócica C conjugada é de 88 mil doses por mês, e o ministério envia uma média de 66 mil. 

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, afirmou que ainda não há um retorno do Ministério da Saúde sobre a possibilidade de aumentar as doses. Ele ainda alertou que outros cuidados, além da vacinação, podem prevenir a meningite. Os principais são higiene, ventilação dos ambientes e não-compartilhamento de objetos. No ano passado, o Paraná teve 1.601 casos de meningite dos mais variados tipos, com 108 mortes. Estes são dados preliminares, assim como os deste ano, quando ocorreram 144 casos com 14 mortes. A meningite é geralmente causada por uma infecção viral, mas também pode ter origem bacteriana, fúngica e por outros microorganismos, como parasitas. Ela também pode surgir por complicações de outras doenças, entre elas o sarampo e a pneumonia. Os principais sintomas da meningite são dor de cabeça, rigidez da nuca, febre, convulsão e vômito. Nas crianças abaixo de um ano, observa-se choro persistente e inchaço na moleira. Em alguns casos, o paciente pode também apresentar manchas vermelhas na pele. Ao aparecer qualquer sintoma, é necessário buscar o serviço de saúde o mais rápido possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário