quarta-feira, 13 de março de 2019

Tiroteio em escola de Suzano em São Paulo deixa cerca de dez mortos

Dez pessoas foram mortas e outras oito ficaram feridas em um ataque a tiros por volta das nove da manhã desta quarta-feira em uma escola em Suzano, na Grande São Paulo. O crime aconteceu após dois rapazes armados invadirem a Escola Estadual Raul Brasil e dispararem contra alunos e funcionários. Cercados, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, cometeram suicídio.

As vítimas são cinco alunos do colégio e duas funcionárias. O ataque ocorreu durante o intervalo na escola. Câmeras nas residências vizinhas à escola filmaram a ação dos dois atiradores, que estacionaram um carro em frente ao local e entraram. Antes mesmo de chegarem ao colégio, a dupla já tinha feito a primeira vítima. Trata-se de Jorge Antônio Moraes, dono de uma locadora de carros e tio de Guilherme, um dos atiradores. Ele levou três tiros e morreu no hospital.

A dupla estava armada com um revólver calibre 38, uma besta, arma medieval que atira flechas, além de machadinhas. Também foram encontrados na cena do crime artefatos semelhantes a coquetéis molotov, bombas caseiras incendiárias, e uma embalagem com fios que se parece com uma bomba. No entanto, o Grupo de Ações Táticas Especiais de São Paulo (GATE) negou que o objeto fosse um explosivo.

O governador de São Paulo, João Dória, esteve no local e, em declaração à imprensa, se disse chocado com o crime.

Ao chegar eu fui ao local, fique consternado para não dizer chocado com o que vi aqui. Nunca tinha visto uma cena igual em toda a minha vida. O Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura de Suzano darão todo o apoio, material inclusive, as famílias dessas vítimas. As crianças, as duas coordenadoras dessa escola estadual, também o auxílio ao funeral e toda a assistência média e psicológica que for necessária à partir de agora.

O secretário de Segurança Pública do Estado e São Paulo, João Camilo Pires de Campos, informou que Guilherme, um dos assassinos, não terminou os estudos em 2018, fato que pode ter facilitado a entrada dele no colégio. Segundo informações da escola, o jovem não tinha histórico de problemas disciplinares.

Os dois jovens que cometeram o crime moravam na mesma rua. Policiais foram às residências em busca de possíveis provas para elucidar o caso.

Em nota de pesar, o Governo Federal manisfestou condolências às vítimas das famílias e informou que está à disposição para apoiar o Estado de São Paulo no que for necessário.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, também lamentou as mortes dos jovens alunos e afirmou, na abertura da sessão plenária desta quarta, que não se pode "aceitar o ódio entre em nossa sociedade”.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, se solidarizou com as famílias e amigos das vítimas do ataque em Suzano e disse que o caso mostra que “é hora de haver união para impedir que novos ataques como o de hoje se repitam no País”. Por Agência do Rádio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário