quarta-feira, 17 de abril de 2019

Programa Colhendo Inovações da Cocari premia associado de Borrazópolis


O produtor rural de Borrazópolis, João Tsutomu Suzuki e associado da Cocari, juntamente com seu engenheiro agrônomo, Marcelo Luis Basso Meneguin, foram premiados em primeiro lugar no Desafio Colhendo Inovações, que alcançaram as melhores marcas, de acordo com o regulamento do programa de produtividade da Cocari.

O desafio Colhendo Inovações é desenvolvido pela Cocari, pelo segundo ano consecutivo, com o objetivo de desafiar o Departamento Técnico e os associados da cooperativa a aumentarem a produtividade a cada safra. Ao estimular os profissionais e produtores a buscarem o conhecimento necessário para obter uma safra cheia, a cooperativa contribui para que a atividade agrícola seja feita com base em pesquisas, em ambiente sustentável e altamente produtivo.

Produção recorde – O presidente da Cocari, Vilmar Sebold, participou da cerimônia de premiação e destacou que os resultados do Colhendo Inovações superaram os números da edição anterior. Além disso, o presidente agradeceu ao Departamento Técnico, aos produtores e a todos os envolvidos na iniciativa. “O recorde do ano anterior foi quebrado e nós temos um desafio ainda maior para a próxima edição. Continuaremos esse trabalho porque ser produtor é a nossa escolha”, afirmou.

Cuidado com o solo – Outro ponto destacado por Vilmar Sebold diz respeito aos cuidados com o solo que, tanto quanto as sementes, precisam de tratamento adequado. “Nós investimos em produtos químicos e orgânicos para aumentar a produtividade, mas a infraestrutura do nosso solo também exige um trabalho de análise. Essa é a missão para este ano, porque, diante das adversidades, fica evidente que o solo preparado com a cobertura adequada mantém a alta produção”, disse.

Incremento e planos de crescimento – O superintendente de Logística Integrada, Jacy Cesar Fermino da Rocha, declarou a satisfação que o programa trouxe para a cooperativa em seu segundo ano de realização. “Nesse ano ficamos muito satisfeitos com o incremento na produção de nossos associados”, reconheceu. Além disso, o superintendente agradeceu a todos aqueles de depositaram seus esforços no andamento do desafio e traçou metas para a próxima edição. “Agradecemos aos cooperados que confiaram em nossos técnicos e engenheiros agrônomos. Agora nosso foco é 2020! Vamos nos esforçar para que o resultado seja recorde mais uma vez”, acrescentou.

Fechamento de safra – Christiano de Camargo, gerente técnico da Cocari, levantou aspectos determinantes para os resultados na safra 2018/19. “O início da safra foi muito bom tanto no Paraná quanto no Cerrado, com chuvas iniciais na maioria das regiões paranaenses”, avaliou. Conforme ressaltou Christiano, as intempéries podem influenciar no desenvolvimento das plantas, mas o produtor precisa fazer a parte dele no cuidado com as lavouras. “A estimativa de safra, a conservação de solos e a assistência técnica são essenciais para que, mesmo com as adversidades climáticas, o produtor tenha uma boa safra”, frisou.

Direcionamento técnico – O gerente ressaltou ainda a importância do acompanhamento técnico e do desenvolvimento de pesquisas que visem ao aumento da produtividade. “O Centro Tecnológico Cocari, sob a liderança do Dr. João Batista Gonçalves da Silva, testa diferentes cultivares em ambientes também distintos. Os resultados desses experimentos serão transmitidos aos produtores, para que tenham ciência de quais cultivares estão mais adaptadas à cada região”, esclareceu.

Vencedores – Durante o evento foram premiados os produtores e técnicos que alcançaram as melhores marcas, de acordo com o regulamento do programa de produtividade.

Confira a premiação

Paraná Baixo
1º lugar - Cooperado: João Tsutomu Suzuki; Engenheiro agrônomo: Marcelo Luis Basso Meneguin de Borrazópolis-PR – 85,90 sc/ha.

2º lugar - Cooperado: Francisco Munhoz Avalos; Engenheira agrônoma: Giuliana Félix Scarabelo Fleuri de Marumbi-PR – 85,47 sc/ha. 

3º lugar - Cooperado: Pedro José Ricordy; Técnico agrícola: Edinei Souza Melo de Jandaia do Sul-PR – 82,4 sc/ha. 

Paraná Alto
1º lugar - Cooperado: Eltico Gehrke Rodrigues; Engenheiro agrônomo: Arthur Vinícius Alves Machado de Ortigueira-PR – 90,05 sc/ha. 

2º lugar - Cooperado: Miqueias Tagliari; Engenheiro agrônomo: Francisco Maldonado de Ortigueira-PR – 87,44 sc/ha. 

3º lugar - Cooperado: Josevaldo Angelo Figueiredo; Engenheiro agrônomo: André Turcheto de Cambira-PR – 87,33 sc/ha.  

Cerrado Irrigado
1º lugar - Cooperado: Francisco de Assis Guimarães; Engenheiro agrônomo: Flávio Cancian de Guarda-Mor-MG – 97,93 sc/ha.  

2º lugar - Cooperado: Jorge Riva; Engenheiro agrônomo: Ismael Estrela Vaz de Silvânia-GO – 97,50 sc/ha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário