Procure a matéria - Aqui

SLIDES

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

COCARI: projeto do Cooperjovem recebe Prêmio Gestor Público do Paraná


O Prêmio Gestor Público Paraná realizou, na última quinta-feira (10), a cerimônia de encerramento da edição 2020, de forma on-line. De 162 projetos homologados, 43 foram premiados, entre eles, o projeto “O que os Olhos Não Veem”, da Escola Municipal Bom Pastor, que integra o Programa Cooperjovem em Mandaguari-PR. O destaque é concedido em reconhecimento às boas práticas dos gestores públicos municipais do Paraná.

Necessidade - A iniciativa em questão teve como objetivo conscientizar alunos, pais e comunidade escolar sobre as pessoas consideradas invisíveis em nossa sociedade. Foi aplicado um questionário aos pais da comunidade escolar e por ele notou-se que as famílias reconhecem a existência de pessoas que passam por problemas e dificuldades, porém não conhecem entidades que trabalham em favor do bem-estar dessas pessoas.

Mudanças na sociedade - Segundo a diretora da Escola Municipal Bom Pastor, Carmen Lucia Rafael, o projeto “O que os Olhos Não Veem” teve início com os 4.° anos da instituição e, posteriormente, envolveu as outras turmas da escola. “O projeto marcou pessoas, mudou atitudes e a maneira de ver um ao outro. Às professoras, meus mais fervorosos agradecimentos pelo excelente trabalho que desenvolveram”, disse.

Orientação - A iniciativa foi idealizada pelas professoras Daniele Mara Arbano Wiederwild Silva, do 4.º ano B, e Sandra Cristina Fadel, do 4.º ano C, e realizada no ano de 2019 entre os meses de maio e agosto. Trabalhando os princípios cooperativistas, os alunos foram orientados na busca por possíveis soluções para os problemas agora visíveis para eles. “Durante o projeto, propomos às crianças que assistissem ao filme ‘Corrente do bem’. A partir disso, os alunos perceberam que algo poderia ser feito caso eles tivessem ações cooperativas concretas de solidariedade”, destacaram.

Envolvimento da comunidade - O alcance do projeto surpreendeu as educadoras. “Não só os alunos foram impactados, mas a ação abrangeu a comunidade como um todo. Houve trocas entre alunos e profissionais de diversas áreas, que se prontificaram em doar seus conhecimentos no intuito de ampliar a visão dos alunos sobre temáticas que gostariam de atuar. Ao final de cada etapa, para nossa surpresa, esses profissionais se engajaram no projeto, nele permanecendo até a etapa final, quando entregamos doações arrecadadas”, contaram.

Reconhecimento - As professoras dividiram um pouco da experiência da premiação. “Para nós, enquanto professoras do quadro do magistério há mais de 15 anos, foi um momento mágico e gratificante. Percebemos que nós ainda possuímos potencial e poder influenciador e de transformação social”, avaliaram.

Colaboração - As educadoras deixaram uma mensagem em agradecimento aos que contribuíram com a iniciativa. “Gostaríamos de agradecer a todos os envolvidos em nosso projeto, pais, alunos, palestrantes e toda a comunidade. Agradecemos à Cocari por oferecer a formação do Cooperjovem, que foi de suma importância para o desenvolvimento do projeto. Em especial, à professora que ministrou o curso, Carmen Machado, que foi a primeira a acreditar no potencial de nosso projeto, nossa maior incentivadora”, enfatizaram.

Formação cooperativista - O Programa Cooperjovem foi desenvolvido para divulgar conceitos cooperativistas e ações para a formação continuada de educadores na área de ação da Cocari, sendo realizado com apoio do Sescoop/PR. Por meio dele, os alunos da rede pública municipal desenvolvem iniciativas cooperativas que impactam positivamente a comunidade.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário