Procure a matéria - Aqui

SLIDES



sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Cocari realiza live Conexão Jovemcoop


Com o objetivo de fortalecer o espírito cooperativo entre os jovens, promovendo a integração e o desenvolvimento do cooperativismo a fim de aumentar a participação dos jovens nas ações da cooperativa, a Cocari realizou a segunda edição da live Conexão Jovemcoop, com apoio do Sescoop/PR. O evento aconteceu na noite da última quinta-feira (23), com o tema “O protagonismo do jovem dentro e fora da porteira”. A live foi transmitida às 19h30, pelo Facebook e canal do YouTube nos perfis @cocaricoop. O evento teve participação de Jean Sigel, um dos fundadores da Escola de Criatividade, de Curitiba-PR, e dos Jovens do Agro, de Pirapozinho-SP, idealizadores do perfil @JovensdoAgro, que é pioneiro na criação de conteúdo técnico no mundo agro. Foram convidados dois jovens da Cocari para uma roda de conversas. Bárbara Bedin, de Jandaia do Sul-PR, e Vinicius Salvalaggio, de Campo Alegre de Goiás-GO, representaram o público jovem da cooperativa. O presidente da Cocari, Dr. Marcos Antonio Trintinalha, e o diretor conselheiro, Carlos Roberto Favoretto, acompanharam a realização da live no Auditório da cooperativa, em Mandaguari-PR.

Sucessão – Na abertura do evento, o vice-presidente da Cocari, João Carlos Obici, falou sobre a importância de inserir o público jovem nas cooperativas. “Minha história na Cocari começou muito cedo. Sempre acompanhei meu pai na cooperativa e em 2002 comecei a participar dos eventos promovidos para os jovens”, destacou Obici, que integrou a Liderança Jovem e depois foi convidado a fazer parte do Conselho de Administração, sendo eleito diretor executivo em 2012 e, na Assembleia Geral Ordinária (AGO) deste ano, foi eleito vice-presidente da Cocari. “O cooperativismo precisa da participação dos jovens, como cooperado e como gestor, dentro da propriedade ou dentro da cooperativa. A Cocari tem buscado cada vez mais trazer os jovens para fazerem parte da cooperativa, oferecendo oportunidades e isso é fundamental”, disse.

Três gerações – O vice-presidente comentou sobre a necessidade de as cooperativas se prepararem para atender os mais diversos públicos. “Na minha família percebo muito isso, temos três gerações: meu pai, que é mais tradicional, gosta de ir pessoalmente ao entreposto da Cocari para resolver algum assunto; eu, com 37 anos, faço parte da geração intermediária, fui me inserindo e acompanhando as novidades; e meus filhos já nasceram nessa nova era, onde tudo é mais tecnológico, mais veloz. E a cooperativa precisa atender bem tanto o cooperado tradicional, aquele que está se inserindo nas mudanças e quem nasceu na era da tecnologia”, destacou Obici.

Foco – Vinicius Salvalaggio foi o jovem representante do Cerrado a participar da live. “Comecei bem cedo na agricultura, ajudando meu pai e agora estou aprendendo a parte administrativa. Venho de duas famílias de produtores, tanto por parte de pai quanto da minha mãe, e termos esse apoio da Cocari para o trabalho no campo é fundamental”, afirmou. Quando perguntado sobre o que o faz querer permanecer no sistema cooperativista, o jovem responde é enfático. “A confiança é o que me faz querer permanecer na Cocari. É muito bom poder chegar à unidade da cooperativa em Campo Alegre de Goiás e receber o mesmo tratamento que tem o meu pai, ver que a equipe tem confiança no trabalho que estou realizando. Isso reforça em mim o sentimento de pertencimento à Cocari e é o essencial para eu me manter na cooperativa”, relatou. “A mensagem que deixo aos jovens da Cocari é para que mantenham o foco no que querem e sejam realmente protagonistas de suas histórias”, concluiu.

Conquistando espaço – Representante de Jandaia do Sul-PR, Bárbara Bedin também sempre esteve ao lado dos pais no campo, batalhou para conquistar seu espaço no trabalho com a agricultura e falou sobre a escolha por seguir atuando na atividade. “Desde pequena também acompanho meus pais na agricultura. Sempre foi meu sonho fazer Agronomia e agora vou me formar no ano que vem”, contou. “Na Cocari nós somos muito bem atendidos, eles estão sempre dispostos a tirar alguma dúvida e nos ajudar no que for preciso. E é essa interação com a cooperativa que me faz querer permanecer na Cocari”, disse. “O recado que transmito aos jovens é para que busquem seu espaço e façam acontecer, que desenvolvam seu trabalho com amor porque quando fazemos com amor, o trabalho deixa de ser obrigação e se torna um prazer para a nossa vida”, completou Bárbara.

Jovens do Agro – Jovens do Agro, os irmãos Saile Dayani Farias e Cesar Augusto Farias são formados em Agronomia e falaram sobre o trabalho que vêm realizando de mostrar a força do agronegócio e também no incentivo a outros jovens por meio das redes sociais e das palestras. A exemplo dos representantes da Cocari, os irmãos também começaram a amar a agricultura ainda bem cedo, sentimento que vem sendo passado de geração em geração. “Precisamos de jovens que fazem o agro acontecer, que tenham proatividade e ao mesmo tempo amor pelo campo e pelo legado construído pela sua família. Jovens que tragam para o campo inovações tecnológicas que aumentem a produtividade de suas áreas de forma assertiva. Estamos vivendo um momento em que os jovens estão se capacitando para voltar para o campo, e é desses jovens – que possuem brilho nos olhos e vontade de fazer acontecer – que o nosso agro precisa!”, relataram.

Orgulho do pertencimento – “O jovem precisa entender que a propriedade é um patrimônio dele, por isso a importância de formarmos sucessores no campo. Nós herdamos o amor pela agricultura dos nossos pais. E o agro não tem gênero, o agro é de quem é protagonista”, afirmou Saile. “Precisamos de uma educação que prepare o jovem para entender o que é o agro. O agro não é só a atividade realizada nas grandes propriedades, o agro é familiar. A cooperativa precisa inserir esse jovem para que ele entenda o que é a cooperativa, e possa compreender que a sequência familiar dele depende do suporte oferecido pela cooperativa, para que esse jovem cresça com o orgulho do pertencimento”, frisou a jovem.

Persistência – Cesinha também ressaltou a necessidade da inserção dos jovens no cooperativismo. “A cooperativa vem a somar no agronegócio e o jovem tem o papel de trazer a inovação. Hoje o mundo é de quem sabe solucionar problema. O jovem precisa puxar a responsabilidade para si e entender que precisa fazer acontecer, e a cooperativa tem que dar essa abertura, entender o que o jovem precisa para continuar inserido no cooperativismo, porque na vida tudo é uma troca. Que os jovens da Cocari tenham persistência e foco para realizarem seu trabalho”, salientou.

Protagonismo – Jean Sigel enfatizou a força que o público jovem tem e que é preciso ter atitude de protagonista. “O jovem deve apostar em protagonismo e inovação para se posicionar e participar do futuro da cooperativa e de seus negócios profissionais”, afirmou. “O jovem é o presente, e não o futuro. É preciso ter atitude, ter ação. Aqui mesmo na Cocari temos o exemplo de um jovem que chegou a vice-presidente e esses espaços que vêm sendo conquistados só depende de vocês, jovens”, relatou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário