Procure a matéria - Aqui

SLIDES



domingo, 27 de novembro de 2022

Cardeal João Braz de Aviz recebe Título de Cidadão Honorário em Borrazópolis




Borrazópolis tem um novo Cidadão Honorário: Cardeal João Braz de Aviz. A entrega da honraria foi feita em um tipo de Sessão Especial e Solene da Câmara de Vereadores, realizada após a Santa Missa na Igreja Matriz de Borrazópolis, no domingo, (27), às 19 horas. A missa foi presidida pelos padres Paulo, Sebastião e o Cardeal João Braz.

Dom João também celebra os seus 50 anos de ordenação sacerdotal.

De autoria do vereador Edinho, o Título de Cidadão Honorário é concedido exclusivamente a pessoas que não tenham nascido no município de Borrazópolis e que tenham a devida importância ou serviços prestados à cidade. A pessoa agraciada passa a ser um irmão, um conterrâneo, uma pessoa da terra natal.

O vice-prefeito Marcelão, vereadores Valdinei Del Grande, Rosi Cerqueira, Edinho, Tuca, Toninho da Pires, Zezinho do Correio, Leandro, Dominado, representantes de comunidades cristãs, idosos, jovens, pessoas de outras cidades e os padres Paulo e Sebastião, prestigiaram a solenidade de entrega do título que marca a história de Borrazópolis.

Nascido em Santa Catarina, Dom João Braz de Aviz, passou sua infância na cidade de Borrazópolis, foi um dos oito filhos de João Avelino de Aviz e de Juliana Hacke de Aviz, primo da Professora Marli Hack e Aline Hack e também sobrinho da Dona Elvira Hack (pioneira de Borrazópolis). 

Atualmente, Dom João Braz vive em Roma, onde é o prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e a Sociedade de Vida Apostólica. Com 75 anos de idade, Dom João foi bispo auxiliar de Vitória (ES), bispo de Ponta Grossa (PR), arcebispo de Maringá (PR) e arcebispo de Brasília (DF), de onde se tornou bispo emérito. Mas foi em 6 de janeiro de 2012 que o então Papa Bento XVI anunciou a sua criação como cardeal. Em 18 de fevereiro do mesmo ano recebeu o barrete cardinalício, na Basílica de São Pedro, pelas mãos do Papa.

BIOGRAFIA

A história de vida de Dom João Braz, nascido na cidade de Mafra, no estado de Santa Catarina, em 24 de abril de 1947, tem uma forte ligação com a nossa Diocese. Aos dois anos de idade, ele, seus pais, senhor João Avelino de Aviz e senhora Juliana Hache de Aviz mais seus sete irmãos mudaram-se para a cidade de Borrazópolis, no estado do Paraná. Com apenas 11 anos de idade, em 21 de abril de 1958, o jovenzinho, sentindo o chamado de Deus, ingressou no Seminário São Pio X, dos Padres do Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras, na cidade de Assis, interior de São Paulo, local onde estudavam os seminaristas menores da Diocese de Londrina. A partir da criação da Diocese de Apucarana, Borrazópolis e o seminarista passaram a integrar o novo território diocesano, tornando-se então o jovem João Braz um seminarista Apucaranense. Estudou Filosofia no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos em Curitiba e em Palmas, no interior do Paraná, seguindo para Roma, onde cursou Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana. Concluído seus estudos, retornou ao Brasil, sendo ordenado padre por Dom Romeu Alberti, na Catedral de Apucarana no dia 26 de novembro de 1972.

Assumiu seu sacerdócio em diversas Paróquias desta Diocese, exercendo diversos encargos pastorais: foi pároco em algumas, diretor espiritual e reitor do Seminário Maior de Apucarana (em 1984 e 1985) e de Londrina (em 1986 e 1988); diretor espiritual do Seminário do Ipiranga, em São Paulo; Membro do Conselho de Presbíteros, do Colégio de Consultores e Coordenador Diocesano de Pastoral. Um episódio marcante na vida de Dom João, deu-se quando ele exercia seu sacerdócio em Ivaiporã e, numa noite, foi feito refém por dois jovens que pretendiam assaltar um carro-forte naquela região. Ao ser obrigado pelos jovens a parar seu veículo e depois o obrigarem a pedir dinheiro aos ocupantes do carro-forte, que armados, dispararam, o sacerdote foi ferido por um tiro de escopeta e teve seu corpo atingido em várias partes por estilhaços de chumbo que, graças a Deus, não afetaram nenhum órgão vital. Embora tenha sobrevivido, têm fragmentos alojados em alguns pontos de seu corpo. Dom João possui doutorado em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Lateranense de Roma, feito de 1989 a 1992. De 1992 a 1994 foi Reitor e professor de Teologia Dogmática no Instituto Paulo VI de Londrina e Pároco da Catedral Nossa Senhora de Lourdes de Apucarana. Foi nomeado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Vitória com a sede Titular de Flenucleta, pelo Papa João Paulo II, no dia 06 de abril de 1994, sendo consagrado Bispo em 31 de maio de 1994 por Dom Domingos Gabriel Wisniewski, C.M. Seu lema de vida episcopal é: “Todos sejam um” (Jo 17,21). Exerceu seu episcopado também em Ponta Grossa e tornou-se Arcebispo de Maringá em 2002. Em janeiro de 2004 foi nomeado Arcebispo da Arquidiocese de Brasília, onde tomou posse em 27 de março.

Na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, foi eleito presidente do Regional Centro-Oeste e membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé e vice-presidente das Edições CNBB. Em maio de 2010, Dom João Braz de Aviz esteve à frente da organização do XVI Congresso Eucarístico Nacional, que aconteceu em Brasília, ano do cinquentenário da capital federal. Nomeado pelo Papa Bento XVI como Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedade de Vida Apostólica no Vaticano, em 04 de janeiro de 2011, Dom João foi o quarto brasileiro a ser escolhido para chefiar um departamento do Vaticano. No ano seguinte, em 06 de janeiro de 2012, o Papa Bento XVI anunciou sua criação a Cardeal, tendo recebido o barrete cardinalício das mãos do Santo Padre em 18 de fevereiro. Em 2013 foi nomeado pelo Papa Francisco membro da Congregação para os Bispos e em 2019, o Papa o designou como presidente delegado do Sínodo dos Bispos para a Região Pan-Amazônica. Braço direito do Papa Francisco quando se trata da vida consagrada, com mansidão e firmeza serve a Igreja do mundo inteiro.

 























Nenhum comentário:

Postar um comentário